• SOGIA

Doença renal crônica

Estima-se que um em cada dez adultos nos EUA tenha doença renal crônica, e muitos que têm a doença não estão cientes disto.

O que é doença renal crônica?

Os rins funcionam como filtros do sangue, drenando produtos de excreção enquanto retêm outros conteúdos valiosos do sangue, como proteínas. Se esses filtros são danificados, eles inicialmente podem “vazar”, e substâncias como proteínas podem escoar do sangue para a urina. Em estágios mais avançados, esses filtros fecham-se lentamente e perdem sua capacidade de filtrar. Quando o comprometimento renal dura mais de três meses, ele é chamado de doença renal crônica. Esse processo acaba por resultar em produção diminuída de urina e insuficiência renal, com acúmulo de produtos de excreção no sangue e em tecidos do corpo. Uma razão comum para a insuficiência renal nos Estados Unidos é o diabetes.

Às vezes, a doença renal crônica é acompanhada de pressão arterial alta, que além de poder ser causada pelo dano renal, também acelera ainda mais a lesão renal e é uma importante causa de efeitos negativos da doença renal crônica em outros órgãos, incluindo risco aumentado de doença cardíaca e AVC, coleção de excesso de fluidos corporais, anemia, enfraquecimento dos ossos e comprometimento do modo como o corpo elimina medicamentos.

Fatores de risco

Além do diabetes e da pressão arterial alta, idade > 60 anos, sexo feminino, etnia afro-americana, obesidade, colesterol alto, falta de exercício físico, fumo e o consumo excessivo de sal são fatores que aumentam o risco de doença renal. Outras circunstâncias contribuintes incluem infecções ou doenças inflamatórias que afetam os rins, uso inapropriado de medicamentos como aspirina, ibuprofeno e outros analgésicos, e o uso de suplementos fitoterápicos que são conhecidos por causar danos aos rins. Além disso, estudos de imagem que usam substâncias de contraste iodado podem ter um efeito negativo nos rins. A doença renal crônica às vezes é de família.

Diagnóstico

A doença renal crônica se desenvolve lentamente, com poucos sintomas. Frequentemente não é reconhecida até que esteja avançada. Se for detectada cedo, o tratamento pode desacelerar ou evitar o declínio da função renal e diminuir os efeitos negativos sobre outras funções corporais. Um exame de sangue medindo a taxa de filtração glomerular avalia o quanto os rins conseguem limpar bem do sangue os produtos de excreção. Um valor de 60 a 90 pode ser um sinal inicial de doença renal; um valor abaixo de 60 é geralmente considerado anormal. Um teste usando uma amostra de urina avalia a presença de proteína (albumina) na urina. Resultados repetidos de 30 mg ou mais podem indicar um problema. Pressão arterial alta pode ainda indicar uma doença renal crônica subjacente.

Prevenção da doença renal crônica

Para pacientes com diabetes, o controle ativo dos níveis de açúcar no sangue é crucial. A medição de hemoglobina A1c acompanha os níveis de açúcar no sangue ao longo de um período de três meses, e sugere-se que ela seja feita quatro vezes por ano. Para pessoas com pressão arterial alta, recomenda-se tratamento médico visando valores abaixo de 120/80 mm Hg. Há determinados medicamentos para pressão arterial disponíveis que protegem em especial os rins e reduzem a perda de proteína na urina. Parar de fumar é de suma importância e é um benefício comprovado. Uma dieta saudável para o coração rica em legumes, verduras e frutas e pobre em gorduras animais ou saturadas é favorável. Estimula-se o uso de azeite ou óleo de canola, em vez de manteiga, banha de porco e gorduras, assim como a escolha de carnes magras ou peixe. Adicionalmente, recomenda-se uma dieta com pouco sal e pouco fosfato usando temperos sem sal e limitando alimentos como petiscos salgados ou alimentos processados ou enlatados. Exercícios físicos regulares cinco dias por semana por pelo menos 30 minutos, além de manter um peso saudável, são outros passos para manter a saúde renal.

Referências

National Kidney Disease Education Program, American Kidney Fund,National Kidney Foundation

Para maiores informações:

Centers for Disease Control and Prevention

www.cdc.gov/diabetes/programs/initiatives/kidney.html