Obesidade entre jovens brasileiros quase dobrou nos últimos dez anos

Prevalência entre indivíduos de 18 a 24 anos passou de 4,4% para 8,5% entre 2006 e 2016

Um recorte da Pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel 2016), do Ministério da Saúde, mostra que nos últimos dez anos (2006-2016), a prevalência da obesidade entre jovens de 18 a 24 anos quase dobrou, passando de 4,4% para 8,5%. No mundo, já são quase dois bilhões de pessoas acima do peso e cerca de 60% da América Latina está nessa condição.

Entre os jovens, o disparar da obesidade não é tão surpreendente quando comparado com o quadro de 60,8% das crianças com menos de dois anos comendo biscoito ou bolacha – alimentado ultraprocessado rico em gordura e açúcar. A cultura social que privilegia alimentos hipercalóricos desde a infância causa impactos diretos na vida dos jovens adultos.

Mas não são apenas os jovens os atingidos pela condição. A obesidade vem aumentando em todas as faixas etárias. Tal fato despertou a preocupação do Ministério da Saúde. “O Governo Federal se comprometeu com a Organização Mundial da Saúde (OMS) a tentar deter a obesidade no país. E um dos principais documentos disponíveis que apoia a população, em especial os jovens de 18 a 24 anos, a fazer escolhas mais saudáveis é o Guia Alimentar para a População Brasileira”, afirma Gisele Bortolini, analista técnica de políticas sociais do Ministério da Saúde.

O Guia Alimentar para a População Brasileira é uma fonte confiável de informações para auxiliar pessoas que desejam fazer escolhas mais saudáveis.